Cadê o respeito com a população?

A nova composição da Casa Legislativa do DF fizeram uma das maiores imoralidade dos últimos tempos, ao aprovar o plano de saúde vitalício para deputados, ex-deputados, comissionados e familiares.

A nova medida aprovada, recebeu questionamentos, de quem não estava na sessão. O projeto recebeu 16 votos favoráveis entre os 24 deputados eleitos no DF.

Após a sessão pateticamente secreta, alguns distritais questionaram que a emenda não foi disponibilizada a todos antes da votação e alguns fizeram o pedido de revisão do resultado.

Parece que buscar a melhoria do DF e da população não faz parte dos planos, dessa turma escalada para serem nossos representantes legais no legislativo.

Esses 16 “nobres” deputados que votaram a favor tripudiaram da cara do brasiliense.

A gente se deparar com a cara de pau e o descaramento vexatório da CLDF – ultrapassou o limite do bom senso – partiu para o escárnio escancarado com o pobre do contribuinte – o trabalhador que tem sustentado esses festivais de gastos destas farras parlamentares na Capital Federal.

Temos por obrigação moral lembrarmos destes 16 votos desde dia 20 de maio.

Estes deputados ultimamente, são aliados destes dois termos que os classificam, “imorais” e “amorais”, onde têm sido aplicados para designar um mesmo significado: aquele que não tem moral, ética e nem pudor e tão pouco respeito.

Nenhum distrital votou contra.

Votaram a favor os deputados:

Rafael Prudente (MDB), Rodrigo Delmasso (Republicanos), Robério Negreiros (PSD), Julia Lucy (Novo), Reginaldo Sardinha (Avante), Martins Machado (Republicanos), Cláudio Abrantes (PDT), Daniel Donizet (PSDB), Fernando Fernandes (Pros), Eduardo Pedrosa (PTC), Hermeto (MDB), Iolando (PSC), Jaqueline Silva (PTB), José Gomes (PSB), Roosevelt Vilela (PSB) e Valdelino Barcellos (PP).
 
Seis deputados se abstiveram.

São eles: Arlete Sampaio (PT), Chico Vigilante (PT), João Cardoso (Avante), Leandro Grass (Rede), Reginaldo Veras (PDT) e Fábio Felix (PSol).

Estavam ausentes: Agaciel Maia (PL) e Jorge Vianna (Podemos), que saiu escondido da sessão virtual.

É de suma importância que a população cobre e esteja ciente, além ter consciência do seu poder de influência e fazer valer seu voto.

A demonstração das ações destes parlamentares inspiraram atitudes covardes, não só iguais a imoralidade, mas exacerbadas entre seus admiradores.

Como age e o que eles fazem e contam tanto quanto suas falas mentirosas.

Não podemos esquecer esses nomes! Não podemos nos calar.

Carlos Tabanez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *